sexta-feira, 11 de março de 2011

Minha Musa

A poesia dos poetas que sofreram é doce e terna. E a dos outros, dos que de nada foram privados, é ardente, sofredora e rebelde.
Clarice Lispector

2 comentários:

reinaldo disse...

Se ardente sou ... nunca me privei...
Nunca senti fome ou frio em demasia...
Apenas senti dores de amar...

Ainda assim sinto arder os dias duros que se seguem ...
Mas terno aguardo por novos dias melhores...

Assim será que sou privado de viver ?

La Mariposa disse...

creio que o amor ultrapassa qualquer definição e desarma qualquer teoria... Um brinde a vida!